sábado, 15 de setembro de 2012

De Giovana para Gabriel

Para entender melhor a postagem de hoje, favor ler o texto de Zuenir Ventura que se encontra abaixo.

Volta Redonda, 14 de setembro de 2012

Prezado Gabriel,


Você não me conhece, mas meu nome é Giovana (eu também me chamaria Gabriel se fosse menino!!!), moro em Volta Redonda e tenho cinco meses de idade. Não, não sou prodígio; é a minha mãe quem escreve esta carta para você. Vou te explicar o motivo: aqui em casa é hábito a minha mãe ler o jornal alto para o meu pai. Ela faz isso toda vez que encontra alguma coisa que ela gosta. Como eu e meu irmão Artur somos pequenos ainda, ouvimos as coisas e vamos pensando no futuro do Brasil, país governado pela sua vó Dilma. E vó é vó, convenhamos. Por isso escrevo: pra você falar umas coisas para a sua, porque ela deve te ouvir.


Sabe, o meu irmão Johan nasceu no ano em que o seu tio (emprestado) Lula ganhou as eleições, em 2002. Na época, a minha mãe escreveu um bilhete em um caderno para que o meu irmão lesse um dia, quando crescesse. Nele estava escrito: "Filho, que você tenha um futuro muito diferente do meu, pois hoje, pela primeira vez no país, a esperança venceu o medo". Lindo, né? Mas parece que não foi bem assim que ela sonhou. Hoje, dez anos depois, a minha mãe, que é professora, está ganhando mal, sendo super desrespeitada por um monte de patrão e, ainda, está pagando uma fortuna de imposto de renda. É verdade que ela paga muito porque trabalha muito, mas será que você não pode pedir a sua avó para olhar mais para os professores do país? Será que eles não podem ganhar uns descontinhos na compra dos livros e nas viagens que eles precisam fazer para estudar mais? Fala aí com a sua avó... Os professores amigos da minha mãe estão quase desistindo da profissão e eles são muito legais... Se a gente não tiver professor bacana, como vai ser a nossa formação na escola?


E tem mais. Aqui em casa, Gabriel, a gente é honesto. Nossas contas estão pagas, a gente tem roupa e comida, graças a Deus, mas ainda falta bastante para os meus pais conseguirem comprar uma casa... Minha mãe e meu pai são trabalhadores e eles estão muito tristes, pois tem um monte de gente falando à beça na TV sobre umas coisas de eleição, mas eles não estão vendo em quem votar. Parece que tem muita gente envolvida numa tal de corrupção, que é um negócio de roubar dinheiro que seria do povo, para que todo mundo tivesse educação, escola e saúde de qualidade. Eu não quero fazer fofoca, mas algumas dessas pessoas que estão roubando são amigas da sua avó... Pede pra ela abrir o olho e fala para a sua avó que é feio ficar trocando voto, hein? A gente mora numa democracia e voto é coisa muito importante para o direito do cidadão...


É isso, Gabriel. Foi muito bom poder falar com você. Quem sabe a gente não se encontra aqui um dia, em Volta Redonda, numa época de Copa ou Olimpíada? Fiquei sabendo que muita coisa vai acontecer por perto da minha casa. A gente pode até marcar de tomar um Nescau, que tal?

Um beijo pra você e outro pra sua avó.

Giovana

P.S.: Antes que eu me esqueça, acho muito chique morar num país que tem uma mulher presidenta. Quem sabe, um dia, eu não tento também?

Um comentário:

  1. Que coisa mais linda, meodeosdocéo!!! Publica esta carta no face, Aninha...

    ResponderExcluir